Barra do Governo Federal

Procurar no portal

Cartilha de Acessibilidade na UFC

Acessibilidade na UFC

As pessoas com deficiência são parceiras fundamentais da Secretaria de Acessibilidade UFC Inclui. A participação e o envolvimento desse público são essenciais para o sucesso das ações. Saiba mais sobre Acessibilidade:

Cartilha de Acessibilidade na UFC (PDF 14.65 MB)

Cartilha de Acessibilidade na UFC com Audiodescrição

Acessibilidade na UFC

Capa

Em segundo plano temos a fachada e os portões de entrada da Universidade Federal do Ceará iluminados pelo sol da manhã. Em primeiro plano temos um casal de estudantes sorrindo e caminhando pela calçada da UFC, e também estão iluminados pelo sol da manhã, a estudante possui deficiência visual e caminha com o auxílio de uma bengala juntamente com o apoio de seu colega. Os dois estão vestindo camisetas de conscientização sobre a igualdade de condições de acessibilidade com a seguinte frase estampada no peito: ACESSO A TUDO PARA TODOS.

p.2

Sumário

4  O que é a Secretaria de Acessibilidade UFC Inclui

6  Mas, afinal, o que é acessibilidade?

8  Quais os eixos de atuação da Secretaria?

11 0 que faz a Secretaria?

12 Quem são as pessoas com deficiência?

14  Como lidar com pessoas com deficiência?

Em segundo plano temos pequenos galhos com uma folhagem bem verde. Em primeiro plano temos um casal sentado em um banco um de frente para o outro e sorrindo e conversando através de libras. O rapaz está fazendo um sinal em libras com a mão direita. A moça está com as mãos apoiadas nas pernas e atenta aos sinais feitos pelo rapaz.

p.4

O que é a Secretaria de Acessibilidade UFC Inclui?

As pessoas com deficiência são parceiras fundamentais da Secretaria. A participação e o envolvimento desse público são essenciais para o sucesso das ações.

Em primeiro plano temos a placa de identificação da Secretaria de Acessibilidade UFC Inclui. Na placa contém o Brasão da UFC, logo abaixo o texto UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ, logo abaixo está o símbolo da Secretaria de Acessibilidade UFC Inclui que é composto por quatro bonecos sendo o 1º cadeirante, o 2º deficiente visual com uma bengala na mão, o 3º está apoiado em duas muletas e o 4º se comunicando através de sinais. Ao fundo da placa temos o céu brilhante com poucas nuvens.

p.5

Desde agosto de 2010, a Universidade Federal do Ceará conta com um setor exclusivo para elaborar ações rumo à inclusão de pessoas com deficiência. É a Secretaria de Acessibilidade UFC Inclui - que, assim como o próprio nome sugere, busca integrar pessoas cegas, surdas, cadeirantes e com outras limitações de mobilidade no dia a dia da instituição.

Com quatro eixos de atuação - arquitetônico, tecnológico, atitudinal e pedagógico -, a Secretaria trabalha na formulação de uma política central de acessibilidade na UFC, agindo para que esta seja respeitada e implementada nos diversos espaços da Universidade.

Não se trata de um órgão executor - embora ofereça serviços como digitalização de textos, ledores, revisão de projetos arquitetônicos, entre outros - e, sim, de um núcleo de fomentação e acompanhamento de ações intersetoriais.

Além disso, também não é objetivo da Secretaria de Acessibilidade absorver todas as ações referentes à inclusão. Isso porque a tarefa de acolher pessoas com deficiência diz respeito a toda a sociedade, cabendo ao órgão disseminar a cultura inclusiva e despertar na comunidade universitária o compromisso com o respeito aos direitos desse público.

É por isso que a Secretaria também luta pela descentralização das iniciativas de acessibilidade, oferecendo suporte e orientação a professores, coordenadores, chefes de departamento, servidores técnico-administrativos e estudantes interessados em fazer sua parte nesse desafio.

Onde e quando funciona a Secretaria?

Vinculada ao Gabinete do Reitor, a Secretaria de Acessibilidade está instalada no andar térreo da Biblioteca do Centro de Humanidades (Campus do Benfica). 

O atendimento ao público é feito de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h.

p.6

Mas, afinal, o que é acessibilidade?

P.7

Acessibilidade é uma questão de atitude e respeito às diferenças. É preciso estar atento para não criar barreiras que atrapalhem o dia a dia das pessoas com deficiência.

Em segundo plano temos o Bosque Moreira Campos em um dia de sol sombreado por suas árvores. Em primeiro plano temos uma das rampas de acesso ao bosque que está identificada através do seu símbolo que é uma figura de um cadeirante.

Promover acessibilidade é dar às pessoas com deficiência condições de uso dos espaços urbanos, dos serviços de transporte, dos meios de comunicação e informação, do sistema de educação, eliminando barreiras e garantindo a inclusão social daqueles que apresentam alguma condição de deficiência.

Estima-se que, no Brasil, cerca de 15% da população apresentem algum tipo de deficiência. Por isso, há lei específica para tratar dos critérios básicos para a promoção da acessibilidade. Trata-se do Decreto n° 5.296 de 2004, que detalha a obrigatoriedade do atendimento prioritário, as condições arquitetônicas de acessibilidade, entre vários outros direitos desse público.

O objetivo da acessibilidade é garantir que todos tenham autonomia para executar tarefas simples do dia a dia. Quer exemplos? Construir rampas ao lado de escadas é garantir acessibilidade a quem se locomove com cadeira de rodas. Inserir legendas e janelas com tradução para Língua de Sinais em programas de TV é dar a pessoas surdas acessibilidade nos meios de comunicação.

FIQUE ATENTO! Saiba mais sobre acessibilidade! Consulte a Lei n° 5.296/2004 no www.planalto.gov.br/legislacao.

p.8

Quais os eixos de atuação da SEcretaria?

Atitudinal

Inclusão é uma questão de atitude e de sensibilidade. É preciso ajudar a comunidade acadêmica a enfrentar o preconceito e incentivar mudanças de atitude, visando à remoção de barreiras que impedem a acessibilidade.

Tecnológico

Outro objetivo é incentivar pesquisas e ações em tecnologias assistivas, para o desenvolvimento de equipamentos, serviços e estratégias que permitam o acesso ao conhecimento com autonomia.

Arquitetônico

Orienta adequações na estrutura física da UFC, como reforma de banheiros, construção de rampas, piso tátil, instalações de elevadores, plataformas de elevação e sinalizadores.

Pedagógico

Não basta fazer com que o estudante com deficiência ingresse na Universidade - é preciso oferecer condições para que ele tenha a mesma formação que os colegas. Por isso, a Secretaria também pensa ações que facilitem o ensino-aprendizagem, com alternativas de avaliação.

p.9

A UFC tem trabalhado para eliminar barreiras arquitetônicas através da construção de rampas, instalação de plataformas de elevação e elevadores, dentre outras ações.

Em primeiro plano temos uma moça subindo uma rampa de acesso com piso de cobertura antiderrapante usando como auxílio uma muleta e o corrimão. Em segundo plano temos parte de um banner de divulgação da exposição comemorativa aos 100 anos de nascimento da escritora cearense Rachel de Queiroz.

p.10

A tecnologia é uma importante aliada no desenvolvimento de processos alternativos de ensino e avaliação para pessoas com deficiência. Na Secretaria de Acessibilidade UFC Inclui, estão disponíveis computadores com programas específicos a esse público.

Em primeiro plano temos um jovem sentado à frente de um computador que está com o programa DOSVOX aberto.

p.11

O que faz a Secretaria?

  • Elabora e gerencia ações de acessibilidade;

  • Oferece suporte às unidades acadêmicas para a efetivação da acessibilidade na UFC;

  • Estimula a inserção de conteúdos sobre acessibilidade nos projetos pedagógicos de cursos de graduação, contribuindo para a formação de profissionais sensíveis ao tema;

  • Identifica e acompanha os alunos com deficiência na UFC;

  • Identifica metodologias de ensino que representam barreiras para os alunos com deficiência e propõe estratégias alternativas;

  • Estimula o desenvolvimento de uma cultura inclusiva na Universidade;

  • Oferece serviços de apoio a esse público, como digitalização e leitura de textos acadêmicos, cursos de Língua Brasileira de Sinais (Libras), revisão de processos arquitetônicos com base em critérios de acessibilidade, entre outras ações;

  • Promove a formação de recursos humanos em gestão de políticas relacionadas às pessoas com deficiência, qualificando-os para um atendimento adequado;

  • Promove eventos para informar e sensibilizar a comunidade universitária;

  • Estimula o desenvolvimento de pesquisas de Avaliação Pós-Ocupação nos prédios da UFC;

  • Estimula a acessibilidade em ambientes virtuais e nos produtos e eventos de comunicação e marketing;

  • Oferece orientação e apoio pedagógico a coordenadores e professores, estabelecendo um canal de comunicação entre estes e os estudantes com deficiência.

p.12

Quem são as pessoas com deficiência?

O Decreto nº 5.296/2004 estabelece os conceitos de cada tipo de deficiência.

Deficiência Física

O indivíduo apresenta alteração completa ou parcial de um ou mais segmentos do corpo. Apresenta-se sob a forma de paraplegia, tetraplegia, ausência de membro, paralisia cerebral, nanismo, membros com deformidade, entre outros.

Deficiência Auditiva

É quando há perda bilateral, parcial ou total, de quarenta e um decibéis ou mais na audição, aferida por audiograma nas frequências de 500Hz, 1.000Hz, 2.000Hz e 3.000Hz.

p.13

Deficiência Visual

Há dois tipos: a cegueira, na qual a acuidade visual é igual ou menor que 0,05 no melhor olho; e a baixa visão, que significa acuidade visual entre 0,3 e 0,05 no melhor olho.

Deficiência Intelectual

O indivíduo possui funcionamento intelectual significativamente inferior à média, com manifestação antes dos 18 anos de idade. As limitações são associadas a duas ou mais áreas de habilidades adaptativas, tais como comunicação, cuidado pessoal, habilidades sociais, saúde e segurança, habilidades acadêmicas, lazer e trabalho.

E mais

Há, ainda, aqueles com mobilidade reduzida - que, não se enquadrando no conceito de pessoa com deficiência, têm, por qualquer motivo, dificuldade de movimentar-se, permanente ou temporariamente. São exemplos: idosos, obesos, gestantes, pessoas com gigantismo etc.

FIQUE ATENTO! Você conhece alguém com alguma dessas características? Estimule-o a procurar a Secretaria de Acessibilidade. O e-mail é O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo., e o telefone é o (85) 3366.7660.

p.14

Como lidar com pessoas com deficiência?

  • Não tenha medo de se aproximar. Pergunte à pessoa com deficiência se ela precisa de auxílio e de que forma você pode ajudá-la. A maioria não se importa em responder a perguntas e esclarecer dúvidas;

  • Não faça de conta que a deficiência não existe. Se você tentar se relacionar com uma pessoa como se ela não apresentasse nenhuma condição de deficiência, vai estar ignorando uma característica importante dela. Aja com naturalidade;

  • Embora ainda conste na legislação em vigor, o termo "portadores de deficiência" tem sido substituído por "pessoas com deficiência". A nomenclatura também inclui palavras simples como "cego", "surdo" ou "cadeirante". Não se acanhe em utilizá-las;

  • Não é correto dizer que alguém é "surdo-mudo". As pessoas surdas, por não escutarem a voz humana, têm dificuldade para aprender a linguagem oral, mas falam por sinais. Algumas fazem leitura labial. Quando quiser conversar com uma pessoa surda, acene para ela ou toque, levemente, em seu braço. Gritar, nem pensar;

  • Não crie obstáculos que atrapalhem ainda mais a vida de uma pessoa com deficiência. Tenha cuidado na hora de estacionar seu veículo, por exemplo. Nada de obstruir rampas ou tomar as vagas exclusivas para esse público;

  • Qualquer pessoa que saiba escrever letras maiúsculas, pode fazê-lo na mão do indivíduo surdo-cego, além de traços, setas, números, para indicar direções, quantidades etc. O importante é se comunicar, não importa o método!

p.15

As pessoas com deficiência querem ter autonomia para realizar suas tarefas. Ajudar é importante, mas melhor ainda é oferecer condições para que esse público possa conviver com independência.

Em primeiro plano temos alunos do curso de libras sentados em suas carteiras observando o professor que está no centro da sala de aula sinalizando em libras. Em terceiro plano temos o quadro da sala de aula com o nome de alguns países da Europa e da África escritos: Espanha, Portugal, Suécia, Egito, Arábia Saudita.

Contra capa

Brasão da UFC

Baixe o arquivo da Cartilha de Acessibilidade da Universidade Federal do Ceará com áudiodescrição (TXT 12 KB).

Secretaria de Acessibilidade - UFC Inclui

Diretora: Profa. Vanda Magalhães Leitão
Endereço: Av. da Universidade, 2683 - Bloco 4 - Área 1 - Centro de Humanidades - (Prédio da Biblioteca de Ciências Humanas) - Ver mapa
Fone: (85) 3366 7660 / 3366 7908 / 99110 4207
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Sítio: www.acessibilidade.ufc.br

Ações de Acessibilidade na UFC

Conheça as ações de acessibilidade em andamento na Universidade Federal do Ceará:

  • Expansão gradativa das ações de acessibilidade a todos os campi da UFC, inclusive os do interior do Estado;
  • Realização de campanha para estímulo a práticas inclusivas, com produção sistemática de material informativo;
  • Atualização do cadastro/censo de pessoas com deficiência da comunidade universitária;
  • Oferta de cursos e oficinas voltadas à formação de profissionais da UFC para a acessibilidade;
  • Incentivo e apoio à inserção de conteúdos sobre acessibilidade nos Projetos Pedagógicos Curriculares dos cursos de graduação presenciais e semipresenciais;
  • Apoio à implantação do sistema de bibliotecas acessíveis;
  • Estudo para a estruturação e implementação de laboratório para a produção de audiolivros;
  • Consolidação e expansão dos serviços de ledores e de digitalizadores de textos acadêmicos;
  • Inserção de legendas e janelas de Libras e audiodescrição nos produtos e eventos da Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional;
  • Aquisição de equipamentos de tecnologias assistivas para os laboratórios de informática, prioritariamente nas unidades onde se encontrem alunos e/ou servidores com deficiência física, sensorial e/ou mobilidade reduzida;
  • Apoio ao desenvolvimento de ambientes virtuais acessíveis;
  • Serviço de interpretação de Libras a professores, alunos e servidores técnico-administrativos surdos;
  • Desenvolvimento de grupos de estudos e pesquisas voltados às diferentes condições de deficiência.
  • Visitas técnicas em obras para vistoria dos itens de acessibilidade arquitetônica, conforme a legislação vigente.

Conceito de Acessibilidade

Conceito

Os conceitos de acessibilidade e inclusão social estão intrinsecamente vinculados. No senso comum, acessibilidade parece evidenciar os aspectos referentes ao uso dos espaços físicos. Entretanto, numa acepção mais ampla, a acessibilidade é condição de possibilidade para a transposição dos entraves que representam as barreiras para a efetiva participação de pessoas nos vários âmbitos da vida social. A acessibilidade é, portanto, condição fundamental e imprescindível a todo e qualquer processo de inclusão social, e se apresenta em múltiplas dimensões, incluindo aquelas de natureza atitudinal, física, tecnológica, informacional, comunicacional, linguística e pedagógica, dentre outras. É, ainda, uma questão de direito e de atitudes: como direito, tem sido conquistada gradualmente ao longo da história social; como atitude, no entanto, depende da necessária e gradual mudança de atitudes perante às pessoas com deficiência. Portanto, a promoção da acessibilidade requer a identificação e eliminação dos diversos tipos de barreiras que impedem os seres humanos de realizarem atividades e exercerem funções na sociedade em que vivem, em condições similares aos demais indivíduos.

A Acessibilidade na UFC

A Universidade Federal do Ceará vem se destacando entre as Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) brasileiras no que se refere à promoção de acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiência. A criação da Secretaria de Acessibilidade UFC Inclui, em 30 de agosto de 2010, situa a UFC num patamar diferenciado dentre as demais IFES, na medida em que se compromete com as diferenças caracterizadas pelas condições de deficiência. Esta Secretaria tem como objetivo assegurar condições de acessibilidade na UFC, em suas múltiplas dimensões, conforme a legislação vigente, e estimular o desenvolvimento de uma cultura inclusiva na UFC.

São princípios que orientam as ações de acessibilidade na UFC: a concepção de que a pessoa com deficiência é sujeito ativo, cuja vivência e visão de mundo devem assumir um papel primordial para a estruturação de um ambiente físico e socialmente acessível; e que a presença, na sociedade, de pessoas com deficiência, autônomas, é essencial para a criação de uma cultura inclusiva. Com base nestes princípios, assume-se como estratégia básica que essas pessoas exerçam função de facilitadoras da inclusão.

Sub-categorias

Créditos

© 2017 Secretaria de Tecnologia da Informação/Divisão de Portais Universitários Ir para o topo