Procurar no portal

UFC e você contra o mosquito

Em exposição fotográfica, MAUC apresenta o olhar da juventude indígena

Imagem: As imagens representam cotidianos, rituais, retratos, famílias, pinturas corporais (Foto: Maykon Kanindé)O Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará (MAUC) inaugura, quarta-feira (14), a exposição fotográfica Nas aldeias: o cotidiano sob o olhar da juventude indígena no Ceará. A mostra, que segue até 10 de dezembro, reúne 90 fotografias feitas por jovens das etnias tapeba, tremembé, jenipapo-canindé, tabajara, canindé e pitaguari.

Os fotógrafos são adolescentes e jovens indígenas, e as imagens, realizadas em oficinas e outros exercícios, representam cotidianos, rituais, retratos, famílias, pinturas corporais.

A curadoria é assinada pelo fotógrafo indigenista Iago Barreto e pela Associação para Desenvolvimento Local Coproduzido (ADELCO), entidade civil sem fins lucrativos que tem o objetivo de contribuir para a melhoria das condições socioambientais, no fortalecimento político e cultural das comunidades tradicionais em situação de vulnerabilidade.

"O desenvolvimento dos indígenas a partir da fotografia tem sido notável; eles conseguem ressignificar seu cotidiano através das lentes, conseguem travar sua luta através das imagens e imprimir sua resistência no mundo", relata Iago. "A exposição é um sinal dessa luta, não o seu fim; ela é a primeira de muitos momentos em que jovens indígenas irão conquistar espaços e públicos, além de reforçar sua mensagem de preservação da terra e da memória", completa.

Esta é a segunda vez que todas as obras são expostas, mas é a primeira vez que o acervo vai a um museu. A primeira vez que elas foram completamente apresentadas foi nos Encontros da Juventude Indígena no Ceará, que ocorreu na Escola Índios Tapebas, na aldeia Lagoa dos Tapebas, em setembro de 2017.

Aruena Tabajara, de 20 anos, ficou surpresa ao saber que teria duas fotos suas expostas no MAUC. "Fiquei superfeliz e grata pelo reconhecimento", conta. Ela começou a fotografar nos Encontros da Juventude Indígena, com o incentivo do educador Iago Barreto. "Quando eu percebi que gostava de foto, já sabia que ia dar certo. Eu amo fotografar e ser fotografada", destaca a jovem.

"Somos gratos ao MAUC pela parceria. Ter as fotografias dos jovens indígenas num espaço de arte tão importante da cidade nos deixa felizes e certos do compromisso da Universidade com a sociedade", destaca Lourdes Vieira, coordenadora do projeto Urucum, da ADELCO.

Imagem: A realização da exposição é da ADELCO, via projeto Urucum, com financiamento da União Europeia (Foto: Raissa Tabajara)A realização da exposição é da ADELCO, via projeto Urucum, com financiamento da União Europeia. Essa exposição tem o apoio do Centro de Pesquisa e Assessoria (ESPLAR), da Comissão de Juventude Indígena no Ceará (COJICE) e da UFC, por meio do MAUC.

O MAUC está localizado na Av. da Universidade, 2854, no Benfica. Funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Não abre nos fins de semana e feriados, mas no dia 9 de dezembro, um domingo, funcionará das 9h às 15h, durante a quarta edição do Corredor Cultural Benfica em 2018. A entrada é gratuita.

Com informações da ADELCO.

Fonte: Museu de Arte da UFC – fone: 85 3366 7481

Endereço

Av. da Universidade, 2853 - Benfica, Fortaleza - CE, CEP 60020-181 - Ver mapaFone: +55 (85) 3366 7300