Procurar no portal

UFC e você contra o mosquito

Rádio Debate estreia série de programas sobre a Plataforma Ceará 2050

Imagem: Estúdio do Rádio DebateA Rádio Universitária FM 107,9 iniciou nesta quinta-feira (7), às 11h30min, no Rádio Debate, uma série de 10 programas sobre a Plataforma Estratégica de Desenvolvimento de Longo Prazo – Ceará 2050, projeto de iniciativa do Governo do Estado, coordenado pela Universidade Federal do Ceará, através da Fundação de Apoio a Serviços Técnicos, Ensino e Fomento a Pesquisas (FASTEF).

O programa de estreia contou com as participações do reitor da Universidade Federal do Ceará, Henry Campos; do coordenador do Ceará 2050 e diretor-presidente da Fundação ASTEF, José de Paula Barros Neto, e do secretário executivo do Ceará 2050, Expedito Parente Júnior.

O primeiro programa da série enfocou as linhas gerais do projeto, a inserção da Universidade na construção da plataforma, a possibilidade de participação de todos os segmentos da sociedade nessa elaboração e a importância da criação de uma cultura de planejamento. Ouça o áudio.

Imagem: O Prof. Barros Neto é coordenador do Ceará 2050 e diretor-presidente da Fundação ASTEF (Foto: Ribamar Neto/UFC)A Plataforma Ceará 2050 tem como objetivo geral traçar estratégias para acelerar o crescimento econômico e atender de forma mais eficiente às demandas da população nos vários aspectos, como saúde, educação, segurança pública, abastecimento de água, emprego e renda.

Neste sentido, quatro pontos se destacam entre as metas: erradicar a pobreza, distribuir as oportunidades por todo o território cearense e não apenas na Capital, e cidades maiores, acelerar o desenvolvimento econômico e respeitar o meio ambiente.

No próximo dia 27, das 8h às 13h, no Centro de Convivência do Campus do Pici Prof. Prisco Bezerra, em Fortaleza, haverá um grande encontro sobre o Ceará 2050, aberto à comunidade.

Sobre o projeto, o Prof. Barros Neto esclareceu que "a ideia é pensar o Ceará a longo prazo e começar a tomar decisões agora para que a gente tenha outra realidade daqui a 20, 30 anos".

Advertiu que muitos fatores envolvem o êxito de um projeto dessa magnitude. "Tem a questão do investimento, tem o debate político. Um projeto desse tem uma parte que é do governo do Estado; outra parte, que é da iniciativa privada; outra, das universidades. E tudo isso precisa de uma articulação", afirmou.

O reitor Henry Campos encara o Ceará 2050 como "uma grande oportunidade de o Governo do Estado executar um planejamento a longo prazo como política de governo e não de estado e obter uma validação desse projeto por parte da sociedade para que seja garantida a sua continuidade”. Para o reitor, embora o crescimento econômico seja um ponto central do projeto, "ele traz a reboque toda uma questão que vai, enfim, reduzir as desigualdades, esse fosso que existe em nossa sociedade".

Nesse contexto, ele considera que a Universidade se alinha com os objetivos do Ceará 2050. "Todos dizem respeito ao enfrentamento aos grandes desafios do nosso Estado e que nós já temos professores dedicados ao estudo dessas questões, alguns figurando como lideranças internacionais no tema", comentou. Mesmo com o destaque da UFC em rankings nacionais e internacionais, sendo o mais recente a melhoria de posição no Ranking Web of Universities, ele vê o Ceará 2050 também como uma grande oportunidade de a Universidade se repensar e replanejar.

Imagem: Reitor da UFC, Prof. Henry CamposFASES – O secretário executivo do Ceará 2050, Expedito Parente Jr., fez um breve histórico do projeto lançado em outubro de 2017, detalhando as fases já realizadas. A primeira etapa foi um diagnóstico realizado por um grupo de pesquisadores sobre a situação do Ceará nos últimos 30 anos e de como está na atualidade, buscando entender as principais conquistas e entraves. "Percebemos que o Ceará precisa se reinventar", disse.

Isso porque, segundo ele, se mantido o atual ritmo de crescimento, o grupo entende que em 2050 o Ceará ainda terá lacunas quanto a desigualdades sociais, economia baseada em baixa produtividade e problemas ligados ao clima semiárido. Os pesquisadores também fizeram um comparativo da situação do Ceará com locais em outros países e analisaram tendências de riscos e ameaças para os próximos anos, como incremento das mudanças climáticas, envelhecimento da população e fim de profissões e surgimento de outras.

Expedito explicou que, num segundo momento, em maio de 2018, teve início o processo de construção do projeto propriamente dito, com a realização de encontros, reuniões e oficinas em todas as regiões do Ceará.

Imagem: Expedito Parente Júnior é secretário executivo do Ceará 2050 (Foto: Ribamar Neto/UFC)"Acumulamos mais de 4.000 participações. Perguntamos à sociedade o que nós queremos ser, o que queremos ter e onde queremos estar em 2050. A partir daí, nós, como coordenação, apenas traduzimos o anseio da sociedade como uma declaração de visão de futuro com 29 objetivos estratégicos. E de cada um desses objetivos estabelecemos indicadores e metas para atingirmos em 2025, 2030, 2040 e 2050", detalhou. A fase atual do Ceará 2050 é a criação de um portfólio desses projetos estratégicos.

Além da participação no encontro que haverá dia 27 deste mês no Campus do Pici, a sociedade poderá acompanhar o andamento do Ceará 2050 pelo site da plataforma, pelo Youtube e pelas redes sociais Instagram (@ceara2050) e Facebook.

DEBATES – A série de debates na Rádio Universitária FM 107,9 constará de 10 programas semanais do Rádio Debate, sempre às quintas-feiras, até o mês de abril.

Assista ao primeiro programa na íntegra:

SERVIÇO
Série Ceará 2050 no programa Rádio Debate
Para sintonizar: todas as quintas-feiras, às 11h30min, na FM 107,9
Para escutar on-line: www.radiouniversitariafm.com.br

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional – fone: 85 3366 7331

Endereço

Av. da Universidade, 2853 - Benfica, Fortaleza - CE, CEP 60020-181 - Ver mapaFone: +55 (85) 3366 7300