Procurar no portal

UFC e você contra o mosquito

Colação de grau do Campus de Quixadá forma primeira turma de Engenharia de Computação

Foto de Yago da Cruz, vestido de beca, ao lado dos paisDe São Paulo (SP), Iguatu (CE), Fortaleza (CE), Senador Sá (CE) ou mesmo do Benin, país da África Ocidental. Na noite dessa segunda-feira (20), todos os caminhos, por mais distantes e distintos que possam parecer, convergiram para um único ponto de chegada: a colação de grau do Campus da Universidade Federal em Quixadá. Realizada no auditório do Instituto Federal do Ceará (IFCE) daquele município, a solenidade foi presidida pelo reitor da UFC, Prof. Cândido Albuquerque, e reuniu 57 formandos dos Cursos de Ciência da Computação, Design Digital, Engenharia de Software, Redes de Computadores, Sistemas de Informação e Engenharia de Computação, que formou a primeira turma, além de familiares e amigos.

Yago da Cruz, concludente de Ciência da Computação, deixou a capital do Estado de São Paulo para fazer graduação no sertão central cearense. Enquanto muitos podem pensar que essa seria uma escolha difícil e até mesmo sem sentido, para o mais novo cientista da computação não foi. "Procurei as universidades públicas que tivessem uma grade curricular que eu realmente gostasse de fazer. Daí soube do Campus da UFC em Quixadá e gostei muito da formação [acadêmica] dos professores, da grade curricular e do fato de este ser um campus voltado para a tecnologia", explica. Por meio de convênios formalizados pelo campus e a iniciativa privada, Yago estagiou no escritório de uma empresa nacional em Quixadá e, agora, voltará para a cidade natal com emprego na mesma empresa. "Consegui a transferência", comemora.

"O Yago, desde sempre, quis ser cientista da computação. Quando ele saiu do ensino médio, não se preocupou em fazer uma universidade que fosse próxima de casa, mas que tivesse matérias que atendessem aos interesses e demandas dele. E aqui, [o curso] no Campus da UFC em Quixadá, mesmo com a distância, foi a primeira opção", garante Elisabete da Cruz, mãe de Yago. "Sempre gostei de desafios, de mudanças. Vir a Quixadá para morar sozinho, me virar sozinho, ter a disciplina de estudar, para voltar e dar orgulho ao meu pai e à minha mãe, que sempre se esforçaram ao máximo para me dar uma boa educação, me trouxe até aqui", afirma Yago, que trabalha com desenvolvimento de softwares voltados à construção e manutenção de sites para e-commerce.

Veja outras imagens da colação de grau em Quixadá no Flickr da UFC

Foto de Gildard Myehouenou, de beca, com os monólitos de Quixadá ao fundoJá Gildard Myehouenou deixou o Benin para cursar Sistemas de Informação no Campus de Quixadá. Ele integrou o Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC-G), que é desenvolvido pelos Ministérios das Relações Exteriores e da Educação e oferece oportunidades de formação superior a cidadãos de países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém acordos educacionais e culturais. "Gostei muito do curso. Aprendi bastante e graças a ele hoje tenho um conhecimento ampliado. Ainda sou estagiário aqui mesmo em Quixadá, mas devo ser efetivado no mês que vem", projeta.

Gildard explica que as dificuldades iniciais aos poucos foram sendo suplantadas pelas novas amizades que construiu no campus. "Vim só para o Brasil e no início bateu forte a saudade da família e da comida. Mas depois fui me acostumando, construindo amizades, e consegui superar as dificuldades. Vou permanecer por aqui", garante o novo profissional, que também trabalha com desenvolvimento de sites. Na solenidade dessa segunda-feira (20), como forma de homenagear Gildard, também foi executado o hino do Benin, além do hino nacional brasileiro para os demais formandos.

DISCURSOS ‒ Natural de Iguatu e criada em Quixelô, ambos municípios da região centro-sul do Ceará, Marisa do Carmo Silva é concludente da primeira turma do Curso de Engenharia de Computação do Campus da UFC em Quixadá. Já aprovada para cursar mestrado na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), ela se disse honrada, em seu discurso, por ter sido escolhida para ser a oradora discente da noite. "Ao me convidarem, surgiram receios, o medo de não conseguir representar todos os formandos e relatar suas trajetórias. Porém, em tempo algum eu seria capaz de recusar nada a esta instituição, que tanto fez por mim", explicou. "A partir de hoje começa nova etapa da nossa vida. Parece que nos tornamos mais adultos. Não aprendemos tudo na universidade ‒ nem vamos nos lembrar de tudo que aprendemos ‒, mas, sinceramente, não há nada que não possamos aprender", afirmou Marisa.

Marisa do Carmo Silva discursa no púlpito e na diagonal está a mesa diretora da colação de grauNo discurso, ela enumerou três motivos que a fizeram continuar e não desistir da graduação durante os quatro últimos anos, acreditando que os demais concludentes concordariam com ela: o Campus da UFC em Quixadá ser um lugar especial, "não apenas pela beleza que o cerca, mas pelo fato de ele ser um local onde as pessoas realmente se importam com a Universidade, batalham e lutam para trazer o melhor para a comunidade acadêmica e a sociedade; os amigos, "companheiros desta longa batalha contra as adversidades"; e "o maior alicerce da vida: a família, de sangue ou não".

Ao encerrar o discurso, aconselhou os colegas: "Não tenham medo de sonhar e, por favor, não deixem de lutar por seus sonhos, por mais malucos que eles possam parecer. Mas nunca passem por cima das pessoas para conquistar algo. Mantenham a essência de vocês. Não marquem suas histórias na Terra de maneira desonesta. Se vocês quiserem fazer diferença no mundo, lembrem-se de que nenhum dinheiro, cargo ou poder realmente irão importar se forem conseguidos às custas dos outros. Façam o bem às pessoas e deixem um bom legado no mundo", finalizou.

Prof. Wagner Guimarães Al-Alan discursando no púlpitoO Prof. Wagner Guimarães Al-Alan foi o orador docente da noite. Ele lembrou que a solenidade marcava a conclusão da primeira turma do Curso de Engenharia de Computação, "cuja caminhada começou em 2015", mesmo ano de seu ingresso na UFC em Quixadá. E continuou: "A primeira turma de um curso traz consigo uma maior quantidade de desafios, como os laboratórios que não estavam presentes desde o início e, aos poucos, foram montados, além de novas disciplinas, as quais vocês foram os primeiros a cursar. Não posso deixar também de mencionar os eventos e as competições, das quais vocês não mediram esforços para participar, mesmo que para isso fosse necessário cruzar o Brasil de ponta a ponta dentro de um ônibus", afirmou.

Ao concluir sua fala, ressaltou que "os alunos do Campus da UFC em Quixadá, sem exceção de curso​, vêm se destacando pela qualidade do ensino, e isso se reflete nas premiações recorrentes em eventos de que participam, na aceitação em programas de pós-graduação reconhecidos em todo o País e na inserção no mercado de trabalho, elevando o nome da UFC por onde passam". Deixou, ainda, um conselho e um convite: "Peço que atuem profissionalmente de forma respeitosa, pautada pela ética e sempre ponderando o impacto social de suas ações. No futuro, retornem a esta casa e colaborem com seu curso e com a formação dos próximos alunos, trazendo as demandas do mercado de trabalho e compartilhando suas realizações profissionais", concluiu.

Discurso do reitor da UFC, Prof. Cândido Albuquerque, na colação de grau do Campus de QuixadáPor fim, o reitor Cândido Albuquerque, em seu discurso, compartilhou um “declarado contentamento” ao conferir o grau, pela primeira vez em sua gestão, aos concludentes do Campus de Quixadá. "Sei das dificuldades, entraves e embaraços de várias ordens que venceram para se tornarem dignos do recebimento desta certificação ora conferida por uma instituição gloriosa: nossa alma mater, nossa querida Universidade Federal do Ceará", falou aos formandos.

O Prof. Cândido também lembrou ao público o valor dos diplomas conferidos na noite dessa segunda-feira. "As certificações agora recepcionadas possuem reputação inestimável, advinda de uma academia moderna, ativa, inovadora, aberta aos bons propósitos, com vistas a conduzir o saber humano, tecnológico e artístico na construção de uma sociedade plural, justa e fraterna", apontou.

Recebida de forma calorosa pelos formandos, familiares e professores do campus, a comitiva do reitor foi composta pelo vice-reitor da UFC, Prof. José Glauco Lobo Filho; a diretora do Campus da UFC em Quixadá, Profª Andréia Libório Sampaio; a pró-reitora de Graduação, Profª Ana Paula de Medeiros Ribeiro; a pró-reitora de Extensão, Profª Elizabeth de Francesco Daher; o pró-reitor de Gestão de Pessoas, Prof. Marcus Vinícius Veras Machado; a pró-reitora de Assuntos Estudantis, Profª Geovana Maria Cartaxo; o pró-reitor de Relações Internacionais, Prof. Augusto Teixeira de Albuquerque; a pró-reitora-adjunta de Planejamento e Administração, Adênia Maria Augusto Guimarães; a servidora técnico-administrativa Ana Paula Matos, representando a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação; o pró-reitor-adjunto de Extensão, Prof. Rogério Mâsih, além de coordenadores e vice-coordenadores dos cursos do Campus de Quixadá e outras autoridades universitárias.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional da UFC ‒ fone: (85) 3366 7331

Endereço

Av. da Universidade, 2853 - Benfica, Fortaleza - CE, CEP 60020-181 - Ver mapaFone: +55 (85) 3366 7300