Procurar no portal

UFC e você contra o mosquito

Vice-reitor visita laboratório da FFOE no encerramento de testagem da comunidade acadêmica para SARS-Cov-2

Imagem: A Profª Renata de Sousa, coordenadora do LACT; o Prof. Glauco Lobo, vice-reitor da UFC; e Ederson Laurindo Holanda de Sousa, bioquímico (Foto: CCSMI/UFC)Marcando o encerramento da testagem da comunidade acadêmica da Universidade Federal do Ceará, o vice-reitor, no exercício da Reitoria, Prof. José Glauco Lobo Filho, visitou nesta sexta-feira (16) o Laboratório de Análises Clínicas e Toxicológicas Prof. Eurico Litton Pinheiro de Freitas (LACT), no Campus do Porangabuçu. Vinculada à Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem (FFOE), a unidade foi um dos pólos de testes para SARS-Cov-2 nos campi de Fortaleza, junto com o Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimentos de Medicamentos (NPDM), a Coordenadoria de Desenvolvimento Familiar (CDFAM) e a Pró-Reitoria de Extensão. 

O Prof. Glauco Lobo, também coordenador do Comitê Institucional de Enfrentamento à Covid-19, liderou a política de testagem, que contou com suporte da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI), responsável por contactar via e-mail, agendar e disponibilizar os resultados para os usuários, por meio do sistema SI3 (SIGAA ou SIGRH). Na ocasião da visita, a equipe do LACT, coordenada pela Profª Renata de Sousa Alves, realizou o teste no vice-reitor.

"A Universidade, desde o início, demonstrou seu interesse em agir. Foram adquiridos kits para os dois tipos de exames (RT/PCR e testes rápidos), sendo que os de swab (método de coleta do RT/PCR) ficaram com o NPDM e aqui, na PREX e na CDFAM, foram feitos somente os rápidos. Eles verificam a presença de anticorpos, indicando que houve a ativação do mecanismo de defesa do nosso organismo diante desse vírus", explica a Profª Renata de Sousa. Os testes foram ampliados para todos os segmentos da comunidade universitária – alunos dos cursos de graduação, de pós-graduação, docentes e técnico-administrativos – em meados de julho. O comitê institucional também achou por bem estender o serviço aos mais de 600 servidores terceirizados, que embora não sejam do quadro permanente, trabalham na Universidade e atendem ao público em diversas funções.

Confira como foi a visita na matéria da UFCTV:

AMPLA COBERTURA – As ações de rastreamento epidemiológico na UFC tiveram início ainda em maio, quando a Universidade firmou parceria com o Hospital São José, do Governo do Estado. Foram testados, então, estudantes que vivem nas residências universitárias e aqueles beneficiados com o auxílio-moradia da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE). Em julho, foi iniciada a ampla testagem, com a aquisição, pela UFC, de um lote de 13.460 testes rápidos. A ação só foi possível a partir de articulação do reitor Cândido Albuquerque junto ao Ministério da Educação (MEC), resultando na liberação de R$ 1.413.300,00 para combate à pandemia do novo coronavírus.

Imagem: teste rápido covid-19"De nosso contingente populacional, que tem em torno de 35 mil pessoas, chegamos a cerca de 40%. É um resultado excelente. Campanhas de referência em grandes capitais do mundo não conseguem essa cobertura", comemorou o Prof. Glauco Lobo, adiantando que, a partir da próxima semana, será formado um grupo de estudos para analisar o resultado geral da testagem do ponto de vista epidemiológico. "Após nos apropriarmos dos detalhes técnico-científicos, vamos disponibilizar para a administração superior da Universidade e para o poder público, com o objetivo de adotar ações cada vez mais embasadas, com a maior segurança possível", afirmou.

No mesmo horário da visita do gestor, a equipe da Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional conversou com duas servidoras que aguardavam a testagem. Liana Bizarria, assistente administrativa do Hospital Universitário Walter Cantídio, nunca chegou a ter sintomas, mas resolveu tirar a prova. "É a primeira vez que faço. Como trabalho no setor de Serviço Social do hospital, minha atividade exige contato com os pacientes que chegam dos municípios para fazer a triagem e encaminhá-los aos ambulatórios", relatou. Já Vilma Torres, assistente social do HUWC, havia realizado o exame mais de uma vez na rede particular e sequer se incomodou com a agulha. "Estou acostumada", disse rindo, lembrando que, por ser servidora do Complexo Hospitalar, a exposição é constante.

Os resultados podem ser acessados, em até 24 horas, no SIGAA/SIGRH, clicando-se no seguinte caminho: Portal Discente/Portal do Servidor > Menu "Outros" > Exame COVID.

Fonte: Gabinete do Reitor – e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Endereço

Av. da Universidade, 2853 - Benfica, Fortaleza - CE, CEP 60020-181 - Ver mapaFone: +55 (85) 3366 7300