Barra do Governo Federal

Procurar no portal

Pesquisas da UFC são destaque na I Feira do Conhecimento, encerrada no domingo (29)

Imagem: Mesa-redonda "A Matemática está em tudo" teve a participação do Prof. Jorge Lira (Foto: Jr. Panela/UFC)Pesquisas desenvolvidas na Universidade Federal do Ceará integraram a programação da I Feira do Conhecimento – Ciência, Tecnologia, Inovação e Negócios, ocorrida de 26 a 29 de outubro. Segundo a comissão organizadora, cerca de 10 mil pessoas circularam pelos estandes no Centro de Eventos do Ceará ao longo dos quatro dias de programação.

A feira, organizada pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece), foi simultânea à Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que, em 2017, teve como tema "A Matemática está em tudo". A UFC foi uma das instituições de ensino superior homenageadas no dia de abertura do evento, por conta das notas máximas conferidas na recente edição do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) e da avaliação dos cursos de pós-graduação pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Confira mais imagens da Feira do Conhecimento no Flickr da UFC

TECNOLOGIA – No estande oficial da UFC, o público pôde conferir demonstrações de pesquisa e produtos de inovação tecnológica. O doutorando em Ciência da Computação Ítalo Linhares apresentou o AutomaGreat, aplicativo que controla pelo celular a iluminação e a climatização de um determinado ambiente. O trabalho, desenvolvido sob a orientação da Profª Rossana Andrade no Grupo de Redes de Computadores, Engenharia de Softwares e Sistemas (GREat), está na última fase de testes e deverá ser lançado até o final do ano para o sistema Android.

Imagem: Espaço conhecido como Arena do Conhecimento contou com professores da UFC (Foto: Jr. Panela/UFC)O grupo Tecnologias Assistivas e Educacionais (TAE), composto por estudantes do Curso de Engenharia de Computação do Campus da UFC de Sobral, expôs trabalhos relativos à acessibilidade de pessoas com deficiência. Sob coordenação do Prof. Edilson Rocha, foram concebidos produtos como uma bengala eletrônica para deficientes visuais com aviso sonoro; um mouse adaptado para pessoas com mobilidade reduzida utilizarem o computador; uma central de automação para banheiros e quartos de cadeirantes, e ainda um jogo digital educativo para crianças. Todos esses projetos envolviam sustentabilidade e baixo custo de produção, sendo idealizados a partir de materiais reciclados.    

TILÁPIA – Na tarde da quinta-feira (26), a utilização da pele de tilápia para o tratamento de queimaduras foi o tema da palestra do Prof. Odorico de Moraes, coordenador do Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos (NPDM). O docente falou sobre a pesquisa realizada por meio de convênio entre a UFC e o Instituto Dr. José Frota (IJF) e sobre os testes clínicos que têm sido realizados em pacientes do setor de queimados do hospital.

Segundo o coordenador do NPDM, o uso da pele de tilápia como curativo para queimaduras reduz em 40% os custos do tratamento, além de estimular a cicatrização, diminuir a dor e prevenir infecções. Novos estudos indicam potenciais usos do produto para reconstituição de tecidos e tratamentos inovadores em outras áreas da saúde, como Odontologia, Ginecologia, Ortopedia e Otorrinolaringologia. "O principal legado que queremos deixar para a sociedade é mostrar que é possível a gente produzir um bem social para tratar uma coisa tão deletéria para o paciente, que é a queimadura. Posteriormente nós vamos aplicar também em feridas de pressão, úlceras varicosas e mais uma dezena de outras aplicações da pele de tilápia", adiantou o coordenador do Núcleo.  

Imagem: Estande da UFC também recebeu a visita de muitos estudantes do ensino médio (Foto: Jr. Panela/UFC)MESA-REDONDA – Na manhã de sexta-feira (27), a mesa-redonda "A Matemática está em tudo" contou com a participação de Jorge Lira, pró-reitor adjunto de Pesquisa e Pós-Graduação, e de Diego Moreira, Alexandre Fernandes, Esdras Medeiros e João Lucas Marques Barbosa, docentes e pesquisadores do Departamento de Matemática da UFC. O debate também teve a presença de Ricardo Coelho, coordenador regional da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada Computacional (SBMAC). A proposta da mesa-redonda era discutir a presença da Matemática no cotidiano, os avanços da pesquisa científica na área e o contexto nacional de educação.

Apesar de o Brasil ter sido classificado com nota 4 pela União Matemática Internacional (IMU), em uma escala de um a cinco de excelência da pesquisa, o País possui defasagem no nível de instrução dessa disciplina. Segundo João Lucas Marques Barbosa, professor emérito do Departamento de Matemática da UFC, o ensino de Matemática e das demais ciências não é levado de forma adequada para as escolas. "Existe um hiato gigantesco, abismal, na percepção que a sociedade tem da Matemática no dia a dia e na vida. A Matemática não é ciência morta, ela é dinâmica, aplicada à vida, e a gente não imagina", pontua.

Para o Prof. Jorge Lira, um dos desafios da educação básica é entender a Matemática como expressão humana, ciência, mas também como arte, linguagem universal e transdisciplinar. "Precisamos que os jovens se sintam compelidos a adentrar no mundo do quantitativo, da programação, da Matemática, da Física, porque essas são as carreiras que o Brasil precisa para dar um salto econômico, um salto como sociedade mais justa e mais rica", afirmou.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional – fone: 85 3366 7331

Créditos

© 2017 Secretaria de Tecnologia da Informação/Divisão de Portais Universitários Ir para o topo