Procurar no portal

UFC e você contra o mosquito

Pesquisa sobre violência contra a mulher no Nordeste será divulgada nesta quinta-feira (8)

Imagem: Foto de Maria da Penha com Reitor Henry CamposO primeiro relatório da pesquisa de Condições Socioeconômicas e Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher será anunciado nesta quinta-feira (8), em entrevista coletiva no Hotel Mareiro (Av. Beira Mar, 2380, Meireles), a partir das 18h30min, dando início a evento que assinala o Ano 10 da Lei Maria da Penha.

A pesquisa é resultado de parceria entre Universidade Federal do Ceará, Instituto Maria da Penha e Instituto para Estudos Avançados de Toulouse (França) e é o maior estudo sobre o tema, quanto à sua escala, em toda a América Latina.

O coordenador da pesquisa, Prof. José Raimundo Carvalho, do Programa de Pós-Graduação em Economia (Caen) da UFC, e Maria da Penha Maia Fernandes, do Instituto Maria da Penha, apresentarão os dados desse primeiro relatório, resultado das entrevistas feitas com 10 mil mulheres nos nove Estados do Nordeste.

Sexta-feira (9), também no Hotel Mareiro, serão realizadas palestras e painéis para aprofundar a análise dos dados resultantes da pesquisa a partir das 8h30min, quando o Prof. José Raimundo Carvalho falará sobre "Violência doméstica no Nordeste: uma nova perspectiva socioeconômica", tendo como debatedores Daniel Cerqueira, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e Profª Carmem Hein de Campos, da Universidade de Vila Velha (ES). Às 10h45min, o Prof. Victor Hugo Oliveira, analista de políticas públicas do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), abordará o tema "Violência doméstica e o impacto nas novas gerações".

A programação da tarde, das 14h às 16h, está reservada para uma mesa de debates – formada por Wânia Pasinato (representante no Brasil da ONU Mulheres), Maria da Penha (Instituto Maria da Penha), Prof. Victor Hugo Oliveira, Profª Regina Célia (Instituto Maria da Penha), Profª Márcia Machado (Pró-Reitora de Extensão da UFC), Paula Tavares (Banco Mundial) e Fátima Pelaes (titular da Secretaria Especial de Políticas para Mulheres) – que tratará do tema "Novos subsídios para a discussão de políticas de enfrentamento à violência doméstica".

GRANDIOSA VIOLÊNCIA – Maria da Penha Maia Fernandes, fundadora do Instituto que leva seu nome, tem grandes expectativas com relação aos resultados do levantamento, por entender que vai mostrar e consolidar a tese de "como é grandiosa a violência contra a mulher". Ela diz ainda que a lei que tem seu nome e está completando 10 anos, é conhecida por 98% das mulheres, conforme dados de pesquisa recente.

Admite, no entanto, que somente a existência da lei não acaba com a violência contra a mulher e lamenta que em muitos municípios brasileiros ainda não existam os instrumentos capazes de viabilizar a legislação. "Falta boa vontade do poder público", complementa. Para Maria da Penha, a cultura de violência contra o sexo feminino só terá um fim por meio da educação em todos os níveis de escolaridade.

Oficialmente lançada em agosto de 2015, a pesquisa foi operacionalizada pela empresa Datainfo, escolhida por meio de licitação. As 280 entrevistadoras passaram por capacitação com professores da UFC, que incluiu palestras sobre temas como ética na pesquisa, violência contra a mulher e também aulas técnicas sobre coleta de dados.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação e Marketing Institucional da UFC – fones: 85 3366 7331 / 3366 7936 / 3366 7938

Endereço

Av. da Universidade, 2853 - Benfica, Fortaleza - CE, CEP 60020-181 - Ver mapaFone: +55 (85) 3366 7300