Procurar no portal

UFC e você contra o mosquito

MAUC completa 60 anos como espaço de referência em arte e cultura, unindo memória e inovação

A atitude visionária do primeiro reitor, Prof. Antônio Martins Filho, ao fundar a Universidade Federal do Ceará contribuiu também para idealizar, mobilizar artistas e a sociedade e concretizar o sonho de criação do Museu de Arte (MAUC), que completa 60 anos de instalação nesta sexta-feira (25). Com um rico e diversificado acervo de, aproximadamente, 7 mil peças que traduz a premissa do reitor-fundador – "O universal pelo regional" –, o MAUC, como museu de uma universidade pública, cumpre reconhecido papel nas áreas de ensino, pesquisa e extensão. As celebrações pelo aniversário começaram no início deste ano e vão prosseguir até 24 de junho de 2022.

Imagem: escultura em ferro de um cangaceiro em primeiro plano, e pinturas ao fundo, em sala do MAUC

Mesmo com a pandemia de covid-19 e o impedimento de eventos públicos presenciais, o MAUC não para e movimenta o universo on-line. Especialmente nestes dias próximos ao aniversário, o público pode acompanhar e viajar na série de postagens com curiosidades e marcos importantes da história do museu, que é referência local e nacional em educação, arte e cultura. O criativo material está sendo publicado nas redes sociais do museu no Instagram e Facebook.

Para celebrar os 60 anos, como detalha a diretora do MAUC, museóloga Graciele Siqueira, já em janeiro e fevereiro foi realizada a quarta edição do projeto Férias no MAUC – edição on-line.

Em maio, foi a vez do I Seminário de Museus e Coleções da UFC – reflexões contemporâneas, dentro da 19ª Semana Nacional de Museus. Em junho, de 7 a 12, a movimentação virtual se deu com a I Calourada no MAUC.

"Além disso, nossos eventos calendarizados serão realizados com foco nessa celebração: Férias no MAUC – quinta edição (julho-agosto), Primavera dos Museus (setembro), Semana da Infância (outubro) e Jornada de Práticas Educativas e Científicas (novembro)", afirma Graciele. A diretora esclarece que "a exposição comemorativa e presencial, prevista para ser inaugurada no dia 25 de junho, ficará para o encerramento do ano".

Imagem: a diretora do MAUC, Graciele Siqueira, sentado em banco no museu, com tela de Antônio Bandeira ao fundo

ACERVO – O MAUC chega aos 60 anos com "um acervo artístico de referência para a cultura popular e para as artes plásticas cearenses; um conjunto arquivístico institucional e histórico com a presença do Selo de Memória do Mundo da UNESCO; um acervo bibliográfico raro sobre arte, museologia e patrimônio que vem sendo reunido desde a criação do museu", cita Graciele.

Do conjunto de cerca de 7 mil obras destacam-se as coleções de arte popular, com 1.544 peças (entre matrizes e estampas de xilogravuras, esculturas em cerâmica e madeira e ex-votos) e de artes plásticas, com 5.184 (pinturas, guaches, aquarelas, gravuras, desenhos, esculturas).

Para a diretora, o Prof. Martins Filho "foi ousado ao criar o primeiro museu de arte do Ceará e se preocupou em formar um acervo eclético, diversificado e que dialogasse com o lema da Universidade".

O pensamento do "universal pelo regional" se concretiza no MAUC por ser um espaço cultural onde o público pode apreciar tanto obras de artistas estrangeiros imortais como Rembrandt van Rijn, Pablo Picasso e Joan Miró quanto esculturas, matrizes e gravuras de expoentes tradicionais do Nordeste, valendo destacar obras do Mestre Noza e Mestre Vitalino. Acrescentem-se os trabalhos de renomados artistas plásticos nacionais, entre eles os cearenses Antônio Bandeira, Aldemir Martins, Chico da Silva, Descartes Gadelha, Floriano Teixeira, Heloísa Juaçaba, Raimundo Cela e Sérvulo Esmeraldo, para citar alguns reconhecidos no Brasil e exterior.

Ao longo de sua trajetória, o MAUC presenteou o público com 487 exposições entre 1957-1961 (ainda na fase pré-museu) e 1961-2021. Dessas, a diretora informa que seis foram realizadas no formato virtual, numa adaptação do museu ao contexto da pandemia de covid-19, que veio mudar os mais diversos aspectos da vida humana.

Imagem: sala com quadros do pintor cearense Aldemir Martins, no MAUC

Ouça também matéria sobre os 60 anos do MAUC produzida pela radio Universitária FM

DIFERENCIAIS – Espaço de pioneirismo e inovação, "o MAUC foi um dos primeiros museus universitários brasileiros a contar com o profissional museólogo em seu quadro funcional desde a década de 1960 (o primeiro foi Henrique Medeiros Barroso); foi responsável pela formação de uma geração de artistas e gravadores que são referências para a arte; é referência também na criação de seu primeiro site, em 1999; foi pioneiro nas intervenções urbanas nos muros da Universidade e recebeu a primeira exposição de grafite em museus brasileiros", informa a diretora.

Ela ressalta que o MAUC foi pioneiro também "na convocatória para realização de exposições virtuais em tempos pandêmicos e se renova constantemente a partir do profissionalismo e compromisso ético de sua equipe técnica e da geração de bolsistas e voluntários que contribuíram e contribuem na execução de projetos educativos realizados no e pelo MAUC". Por fim, afirma acreditar que "o maior diferencial do MAUC é ser um museu presente e resistente ao tempo social e às mudanças administrativas e políticas".

Antes vinculado ao Gabinete do Reitor, o MAUC hoje está incorporado à estrutura da Secretaria da Cultura Artística (SECULT-ARTE) da UFC, depois que o Conselho Universitário (CONSUNI) aprovou mudanças no regimento da Reitoria, em dezembro do ano passado. "A Secretaria vem como parceira para somar esforços e contribuir no que for possível para que o MAUC possa ter ainda mais ações e se fortalecer com seu trabalho", expressa a diretora da SECULT-ARTE, Maria Pinheiro Pessoa de Andrade.

Imagem: reprodução de linoleogravura produzida por Francisco Bandeira em homenagem aos 60 anos do MAUC

INTEGRAÇÃO – O reitor da UFC, Prof. Cândido Albuquerque, considera o MAUC "o museu que melhor conta a história da arte cearense". Afirma ser da maior importância que a Universidade, na data em que comemora 66 anos, "tenha um equipamento da dimensão do MAUC completando seis décadas de existência". Diz que é com maior orgulho que a UFC mantém o museu. Abrir cada vez mais o espaço para as comunidades interna e externa, especialmente recebendo alunos de escolas públicas, está em seus planos, quando a pandemia assim permitir. O reitor parabeniza o MAUC, "um museu muito bonito, muito rico. A sociedade precisa conhecê-lo e visitá-lo".

Na trajetória do MAUC, Maria Pinheiro destaca a característica do espaço de "buscar sempre estar atuante e inovar em suas ações". Ela reforça a natureza eclética do museu, com exposições de artistas plásticos cearenses renomados como Stênio Burgos, Antônio Bandeira e Estrigas, e mestres da cultura popular como Espedito Seleiro. Ressalta também a abertura para outras expressões artísticas, como na realização da mostra Design por Mulheres. E a reinvenção das ações nesta pandemia com a promoção on-line de exposições, projetos artístico-culturais e até a realização do mencionado Seminário durante a Semana Nacional dos Museus.

Maria Pinheiro considera o museu "um equipamento cultural que está sempre buscando se empenhar e contribuir com excelência para o campo artístico do Ceará e do País". Adianta que nos próximos meses haverá o retorno gradual de suas visitações e ações presenciais, obedecendo aos protocolos sanitários e buscando realizar as exposições e projetos que o museu promove com muito empenho.

Já com a Pró-Reitoria de Extensão (PREX) da UFC, o MAUC mantém uma longa e profícua relação, que nasceu ainda no fim dos anos 1960. A Profª Elizabeth Daher, titular da PREX, diz ser uma parceria que se fortalece a cada ação conjunta realizada. "Em várias oportunidades, o MAUC abrigou exposições que tinham seu fundamento em ações formalmente cadastradas na Pró-Reitoria de Extensão. Destacamos as recentes exposições Arte sob o microscópio e Jogos e brinquedos do mundo, em 2020; as exposições de 2019, Espedito Seleiro: 80 anos de couro e alma e Iluminuras – literatura e bordado, além da exposição Design por mulheres, ocorrida em 2018". Ela cita ainda apresentações da Camerata da UFC, outra ação extensionista, em eventos do MAUC.

Imagem: escultura em ferro de um cangaceiro em primeiro plano, e pinturas ao fundo, em sala do MAUC

SAIBA QUEM JÁ DIRIGIU O MAUC – Na lista de dirigentes do Museu de Arte da UFC estão: Floriano Teixeira (1961-1963); Lívio Xavier Júnior (1963-1964); Vitalina Frota Leitão (1964-1965, interinamente); Zuleide Martins (1965-1987); José Liberal de Castro (1986-1987, interinamente); Pedro Eymar Barbosa Costa (1987-2018). A atual diretora Graciele Karine Siqueira assumiu em 2018.

O MAUC está situado na Av. da Universidade, 2854, Benfica. Outras informações estão disponíveis no site do MAUC e nas redes sociais mencionadas.

Fonte: Graciele Siqueira, museóloga e diretora do MAUC – e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Endereço

Av. da Universidade, 2853 - Benfica, Fortaleza - CE, CEP 60020-181 - Ver mapaFone: +55 (85) 3366 7300